segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Pirataria

dvdsUm assunto muito polêmico é a pirataria, alguns são a favor, outros contra, e é ilegal. Mas antes de falar em pirataria, vou falar no porque ela existe. Prepare-se esse post vai ser longo, mas vai ser interessante.

Boa parte da população brasileira não tem condições de ficar pagando R$50, R$100 reais pra poder assistir um filme, show ou ouvir a música de seu cantor favorito. Com a pirataria eles conseguem ter acesso ao entretenimento. Mas o que está errado que faz com que a população tenha que usar meios alternativos para conseguir se entreter?

Simples: o preço. O capitalismo das indústrias, pensando única e exclusivamente no lucro faz com que ela não veja alternativas para contornar a pirataria. Vou analisar o caso de DVDs de filmes e mostrar como é possível diminuir a pirataria:

Um filme custa milhões para ser produzido, mas a maioria deles recupera o lucro só com a arrecadação das bilheterias nos EUA. Ou seja, toda a receita que eles tem nas bilheterias no mundo inteiro, é lucro. E essa receita não é pequena. Se eles já lucraram muito, porque não reduzem o preço do DVD? O custo de fabricação de um DVD não passa de R$2, como ele é produzido pagando todos os impostos, vamos colocar que seja R$5. Não dá pra vender por R$10 ou R$15? O fabricante pode lucrar 5 vezes menos, mas vai vender 10 vezes mais.

Claro, esses números que eu fiz disse não são de estudos, mas se a maioria dos filmes tivessem seu preço reduzido para R$10 ou R$15, e a população mais pobre soubesse disso, as vendas iam crescer muito, já que a maioria são pessoas de bem que compram DVDs piratas como alternativa, já que não podem comprar DVDs originais.

Saindo dos DVDs e indo para as músicas. O maior problema das gravadoras atualmente é o download ilegal de músicas. Basta ir em algum site de hospedagem de arquivos ou então entrar na central da pirataria Orkut e você tem qualquer música para baixar gratuitamente. E fácil e rápido.

Em lugares onde a tecnologia é mais avançada(EUA), serviços de venda de música são mais comuns, e tem o iTunes, que é um excelente lugar para comprar músicas, no Brasil ainda não tem nenhuma solução no nível do iTunes. Mas vender apenas a música acaba saindo caro se a pessoa quiser muitas músicas. A solução, na minha opinião, é um serviço que a Microsoft já oferece nos EUA: o Zune Pass.

zune-pass

Nele você paga um valor por mês(US$15, no caso do Zune Pass) e pode ouvir qualquer uma das milhões de músicas nos servidores da Microsoft, podendo também ouvir em qualquer lugar pelo Zune(music player da Microsoft). No final do mês você pode baixar 10 músicas, para ouvir mesmo depois que cancelar o Zune Pass. Cada música sairia por US$1,50, contra US$0,99 da maioria dos serviços, mas você poderia ouvir milhões de outras músicas.

Eu acho que essa seria a opção mais viável. Você paga um certo valor por mês mas não fica limitado a uma quantidade de músicas. Assim, quando o seu cantor preferido lançar um CD novo, você não vai gastar uma grana comprando ele, vai ouvindo e a cada mês baixa as músicas, em 2 meses você baixou tudo, no máximo 3 meses. Mas tem uma coisa, aqui no Brasil eu pagaria R$15,00, não US$15,00. Acho que R$30 já é muito pelo serviço. A situação dos americanos é diferente da dos brasileiros. R$15 é um bom preço para esse tipo de serviço aqui no Brasil. Esse mesmo esquema poderia ser adotado para filmes e séries, seria a melhor escolha. Mas juntando ele a um media center os canais de televisão estariam falidos, assistir as séries que você gosta quando você quer, com qualidade, facilidade e tudo legalizado, é perfeito.

steam-logoA solução para jogos é outra. E ela se chama Steam. A Steam é, dentre outras coisas, uma loja virtual de jogos. O diferencial é que eles fazem promoções malucas, com descontos que chegam a 75%, jogos com 1 ano de idade a US$7. Os lançamentos tem valores próximos a US$50, o que é um preço normal nos EUA. Imagine comprar GTA IV por menos de R$15, isso foi possível no final do ano passado. Não precisa ser a Steam a loja que faça isso por aqui, mas uma loja com preços desses, com certeza faria sucesso.

Mas aí vem a resposta de todo mundo para isso que eu disse: os impostos deixam tudo caro. Não necessariamente. Os impostos são proporcionais, ou seja, se as empresas tomarem vergonha na cara e passarem a vender DVDs, e jogos mais baratos, eles vão pagar menos impostos. Vão lucrar menos por conteúdo vendido, mas vão vender mais, o que no final das contas vai aumentar os lucros. Exemplo:

GTA IV durante a promoção da Steam: US$7,49, supondo que o imposto seja de 100%(acho que não chega a tanto), US$14,98, com o dólar a R$1,75, R$26,20. Um ótimo preço por um jogo recente. No Submarino, primeira loja que me veio a cabeça, GTA IV tá custando R$79, ou seja 3 vezes mais caro. O que seguindo essa lógica, daria pra comprar no mínimo três jogos.

Um exemplo de investimento nesse sentido que eu me lembrei agora é o do Windows Live One Care, extinto anti-vírus da Microsoft. Quando foi lançado lá nos EUA, ele era vendido a um preço bem abaixo da concorrência, e ainda podia ser instalado em 3 computadores, enquanto os outros só podiam ser instalados em 1. Resultado: não existiu crack para ele. Só se usava comprando. Ele não chegou a ser muito popular, mas eu conheço programas pouco populares que tem seriais e cracks disponíveis pela internet.

Isso tudo mostrou que, para reduzir a pirataria, é só a indústria querer. Se houvesse serviços como a Steam e o Zune Pass em todo o mundo, oferecendo conteúdo a preços acessíveis, a pirataria seria reduzida. Claro que ainda teria aqueles que querem levar vantagens em cima de tudo, mas muitos comprariam o original. Então, abre o olho indústria!

Ocorreu um erro neste gadget
Por algum motivo que ainda não descobri, os comentários podem não aparecer para usuários do Internet Explorer. Estou trabalhando no problema, desculpe o transtorno.